Integrated Publishing Toolkit(IPT)

free and open access to biodiversity data

PELD - RLaC | Estrutura e composição das comunidades de peixes em lagoas do Parque Nacional da Restinga de Jurubatiba

Latest version published by Sistema de Informação sobre a Biodiversidade Brasileira - SiBBr on Aug 3, 2021 Sistema de Informação sobre a Biodiversidade Brasileira - SiBBr

A conectividade hidrológica representa uma oportunidade de reorganização e reestruturação das comunidades de peixes em planícies alagáveis. Durante as cheias, indivíduos podem deslocar-se para locais com maior disponibilidade de recursos e refúgio, sendo que o início do período chuvoso funciona como um gatilho para a reprodução de muitas espécies de peixes tropicais. A ictiofauna em planícies alagáveis costeiras é composta predominantemente por espécies de pequeno a médio porte, com estendido período reprodutivo, sedentárias ou migradores de curta distância, cuja origem está associada a redes de drenagem que confluem para lagoas e estuários, além do próprio oceano. Para essas, o alagamento reduz o gradiente de pressões ambientais relacionadas ao balanço hídrico, em especial a salinidade da água, estende o hidroperíodo e forma novos locais habitáveis. No Norte Fluminense, variações no regime anual de chuvas promovem o dessecamento e o extravazamento e consequente conexão de lagoas costeiras.

Neste subprojeto, avaliamos o efeito das variações plurianuais no regime de chuvas na estrutura e composição das comunidades e dinâmica de populações de peixes das lagoas costeiras inseridas Parque Nacional da Restinga de Jurubatiba, além de outras duas limítrofes (Lagoa Imboassica e Lagoa Feia). As amostragens iniciadas em 2000 contemplam duas fases de retração e de expansão hidrológica, que culminaram em extinções locais e processos de recolonização em parte desses ambientes. Na escala das comunidades, a variação na riqueza de espécies, representatividade das guildas reprodutivas e proporção de espécies não nativas será comparada entre as fases. Métricas da paisagem como distância dos centros urbanos, conexões hidrológicas, área e perímetro da lagoa serão avaliadas como possíveis preditores do sucesso no estabelecimento das espécies não nativas.

Na escala populacional, será investigada a plasticidade de atributos da história de vida de espécies com maior persistência temporal, como a fecundidade, tamanho de primeira reprodução e taxas de crescimento.

Data Records

The data in this sampling event resource has been published as a Darwin Core Archive (DwC-A), which is a standardized format for sharing biodiversity data as a set of one or more data tables. The core data table contains 26 records. 2 extension data tables also exist. An extension record supplies extra information about a core record. The number of records in each extension data table is illustrated below.

  • Event (core)
    26
  • ExtendedMeasurementOrFact 
    3666
  • Occurrence 
    117

This IPT archives the data and thus serves as the data repository. The data and resource metadata are available for download in the downloads section. The versions table lists other versions of the resource that have been made publicly available and allows tracking changes made to the resource over time.

Downloads

Download the latest version of this resource data as a Darwin Core Archive (DwC-A) or the resource metadata as EML or RTF:

Data as a DwC-A file download 26 records in Portuguese (37 KB) - Update frequency: unknown
Metadata as an EML file download in Portuguese (14 KB)
Metadata as an RTF file download in Portuguese (14 KB)

Versions

The table below shows only published versions of the resource that are publicly accessible.

How to cite

Researchers should cite this work as follows:

Cristina Petry A (2018): PELD - RLaC | Estrutura e composição das comunidades de peixes em lagoas do Parque Nacional da Restinga de Jurubatiba. v1.6. Sistema de Informação sobre a Biodiversidade Brasileira - SiBBr. Dataset/Samplingevent. https://ipt.sibbr.gov.br/peld/resource?r=peld-rlac-comunidade-peixes-jurubatiba&v=1.6

Rights

Researchers should respect the following rights statement:

The publisher and rights holder of this work is Sistema de Informação sobre a Biodiversidade Brasileira - SiBBr. This work is licensed under a Creative Commons Attribution Non Commercial (CC-BY-NC) 4.0 License.

GBIF Registration

This resource has been registered with GBIF, and assigned the following GBIF UUID: 3e89cd6f-8453-4994-989a-605896f36ef1.  Sistema de Informação sobre a Biodiversidade Brasileira - SiBBr publishes this resource, and is itself registered in GBIF as a data publisher endorsed by GBIF Brazil.

Keywords

conectividade hidrológica; espécies não nativas; Jurubatiba; lagoas costeiras; teleostei

Contacts

Who created the resource:

Ana Cristina Petry
Professora Associada
Instituto de Biodiversidade e Sustentabilidade (NUPEM) - Universidade Federal do Rio de Janeiro Rio de Janeiro BR

Who can answer questions about the resource:

Ana Cristina Petry
Professora Associada
Instituto de Biodiversidade e Sustentabilidade (NUPEM) - Universidade Federal do Rio de Janeiro Rio de Janeiro BR

Who filled in the metadata:

Emerson Luiz Florentino Borges
Técnico de Tecnologia da Informação – Gestor de Dados
Instituto de Biodiversidade e Sustentabilidade (NUPEM) - Universidade Federal do Rio de Janeiro Rio de Janeiro BR

Geographic Coverage

A área de estudo contempla ambientes aquáticos lênticos no Norte do Estado do Rio de Janeiro. Nessa região, lagoas costeiras foram formadas durante as oscilações do nível do mar do Período Quaternário e se mantêm desconectadas do mar pela constante ação de ondas e deposição de sedimentos marinhos.

Bounding Coordinates South West [-22.418, -41.431], North East [-21.942, -41.127]

Temporal Coverage

Start Date / End Date 2008-02-01 / 2019-11-28

Project Data

O Sítio Restingas e Lagoas Costeiras do Norte Fluminense (RLaC) está inserido no Programa Pesquisas Ecológicas de Longa Duração (PELD), concebido e financiado pelo Conselho Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento Científico (CNPq), desde 1999. As pesquisas atuais no sítio resultam do esforço multidisciplinar de pesquisadores e técnicos da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Museu Nacional, alunos dos Programas de Pós-Graduação em Ciências Ambientais e Conservação (PPG-CiAC) e Ecologia (PPGE), Gestores do Parque Nacional da Restinga de Jurubatiba e colaboradores da Universidade Federal de Juiz de Fora, experientes no estudo da biodiversidade e processos ecossistêmicos. O objetivo sítio é avaliar o histórico da influência das mudanças ambientais globais na ciclagem do carbono e na diversidade biológica em ecossistemas costeiros, e as interferências antrópicas atuais e locais nesta relação, utilizando o ecossistema de restinga e as lagoas do PARNA Restinga de Jurubatiba como modelo.

Title Mudanças Climáticas Globais e o Funcionamento dos Ecossistemas Costeiros da Bacia de Campos: Uma Perspectiva Espaço-Temporal
Identifier PELD-RLaC
Funding PELD/MCT-CNPq Processo: 558270/2009-3 PELD/MCT-CNPq Processo: 403841/2012-7 PELD/MCT-CNPq Processo: 441610/2016-1
Study Area Description Em 14.860 ha de área no norte do Estado do Rio de Janeiro, na região da Bacia de Campos, um mosaico de ecossistemas terrestres e aquáticos constitui desde 1998 o único parque nacional protegido na forma de restinga, o PARNA Restinga de Jurubatiba que é delimitado a norte e a sul por dois corpos d’água de grande interesse em termos de conservação e valoração socioambiental (Lagoa Feia e Lagoa Imboassica) (Vértices do Polígono: 1 (-41,866758; -22,414679); 2 (-41,438931; -21,948339); 3 (-41,258435; -21,894774); 4 (-41,179387; -22,118887); 5 (-41,840408; -22,427388). A temperatura média anual na região é de 22,6 oC e a precipitação é de 1164 mm. A distribuição de chuvas é sazonal, sendo o verão a estação com maior índice pluviométrico, 189 mm em janeiro. Nos meses mais secos - junho, julho e agosto - o solo apresenta deficiência hídrica e de outubro a janeiro ocorre reposição de água no solo. O Parque estende-se por uma faixa de 60 km de comprimento por 10 km de largura. Os depósitos de areia dos diferentes eventos de glaciação formam cordões arenosos paralelos à costa. Os cordões são entrecortados pelo Canal Campos-Macaé, aberto no século XIX para facilitar o escoamento do açúcar produzido na região, além de duas dezenas de lagoas que em função da origem e aporte hídrico diferem substancialmente entre si quanto à morfometria, propriedades físico-químicas e, consequentemente, composição biótica. Entre os cordões arenosos existem áreas que são permanentemente inundadas por projeções das lagoas e áreas periodicamente inundadas em função da variação do lençol freático e do regime de chuvas. Uma das maiores características destes ecossistemas aquáticos são as altíssimas concentrações de COD apresentados por muitos destes ecossistemas, que refletem diretamente sobre o balanço de C destes com a atmosfera na estruturação das comunidades aquáticas.
Design Description O objetivo geral do estudo proposto é avaliar o histórico da influência das mudanças ambientais globais na ciclagem do carbono e na diversidade biológica em ecossistemas costeiros, e as interferências antrópicas atuais e locais nesta relação, utilizando o ecossistema de restinga e as lagoas do PARNA Restinga de Jurubatiba como modelo. Na presente proposta de estudo, além das 18 lagoas costeiras na área do PARNA e duas em suas áreas limítrofes (<10km, Imboassica e Feia), serão monitoradas cinco áreas na restinga de forma a contemplar o gradiente litoral-continente nos ecossistemas terrestres e aquáticos. Um esforço amostral padronizado, com frequência quinzenal, mensal, trimestral ou semestral para os diferentes grupos visa contemplar a replicação do fator sazonalidade pluviométrica. As amostragens conjuntas de diferentes equipes almejam produzir dados de maneira a suportar inferências mais amplas sobre o funcionamento dos ecossistemas e o monitoramento da dinâmica biológica nos ambientes terrestres e aquáticos.

The personnel involved in the project:

Principal Investigator
Francisco de Assis Esteves

Sampling Methods

Os peixes são capturados com o emprego de redes de arrasto marginal (1,5m de profundidade), redes de espera de malhagens diversificadas, peneiras e picarés. Imediatamente após a coleta dos peixes são registrados parâmetros abióticos (oxigênio dissolvido, salinidade, temperatura da água) e uma amostra de um litro de água será transportada para análises laboratoriais posteriores (fósforo e nitrogênio total, clorofila-a e pH).

Study Extent As comunidades de peixes das lagoas do Parque Nacional da Restinga de Jurubatiba, além das lagoas Imboassica e Feia serão amostradas em uma frequência anual, enquanto os estudos populacionais demandam coletas mensais.

Method step description:

  1. Após a coleta dos espécimes em campo, os mesmos são anestesiados e fixados em formaldeído 4% e transferidos para álcool 70% após dez dias. No Laboratório Integrado de Zoologia sera realizada a identificação dos espécimes, contagem e determinação da biomassa. Esses dados serão utilizados para a elaboração das matrizes de dados de abundância e biomassa das espécies por localidade e campanha. Para os estudos de história de vida, os espécimes serão medidos (comprimento total e padrão), eviscerados, com o peso do fígado, gônadas e trato digestrio registrado. Espécies viviparas terão o tamanho da prole registrado.

Additional Metadata

Alternative Identifiers 3e89cd6f-8453-4994-989a-605896f36ef1
https://ipt.sibbr.gov.br/peld/resource?r=peld-rlac-comunidade-peixes-jurubatiba