Integrated Publishing Toolkit(IPT)

free and open access to biodiversity data

Influência da Diversidade de Macrófitas na Composição e Abundância da Comunidade Zooplanctônica na Lagoa dos Patos Parque Estadual do Rio Doce MG

Latest version published by Sistema de Informação sobre a Biodiversidade Brasileira - SiBBr on Aug 21, 2017 Sistema de Informação sobre a Biodiversidade Brasileira - SiBBr

Este recurso contém os dados da comunidade zooplanctônica de dezoito lagoas amostradas dentro do projeto “Dinâmica Biológica e Conservação da Biodiversidade na Mata Atlântica no médio Rio Doce -MG”. O monitoramento se iniciou em 2000 e finalizou em 2010. Quatro lagoas foram amostradas mensalmente, três lagoas semestralmente e o restante das lagoas foram amostradas trimestralmente por um ano.

Downloads

Download the latest version of the metadata-only resource metadata as EML or RTF:

Metadata as an EML file download in Portuguese (19 KB)
Metadata as an RTF file download in Portuguese (12 KB)

Versions

The table below shows only published versions of the resource that are publicly accessible.

How to cite

Researchers should cite this work as follows:

Universidade Federal de Minas Gerais (2017): Influência da Diversidade de Macrófitas na Composição e Abundância da Comunidade Zooplanctônica na Lagoa dos Patos Parque Estadual do Rio Doce MG. v1.2. Sistema de Informação sobre a Biodiversidade Brasileira - SiBBr. Dataset/Metadata. https://ipt.sibbr.gov.br/peld/resource?r=influencia_da_diversidade_de_macrofitas_na_composicao_e_abundancia_da_comunidade_zooplanctonica_na_lagoa_dos_patos_parque_estadual_do_rio_doce_mg&v=1.2

Rights

Researchers should respect the following rights statement:

The publisher and rights holder of this work is Sistema de Informação sobre a Biodiversidade Brasileira - SiBBr. This work is licensed under a Creative Commons Attribution Non Commercial (CC-BY-NC) 4.0 License.

GBIF Registration

This resource has not been registered with GBIF

Keywords

Metadata Biodiversidade; Macrófitas; Comunidade Zooplanctônica; Diversidade; Abundância; Interações; Rio Doce; Lagos Tropicais; Brasil

Contacts

Who created the resource:

Universidade Federal de Minas Gerais
Universidade Federal de Minas Gerais Av. Antônio Carlos, 6627 31270901 Belo Horizonte Minas Gerais BR 3134092591

Who can answer questions about the resource:

Universidade Federal de Minas Gerais
Universidade Federal de Minas Gerais Av. Antônio Carlos, 6627 31270901 Belo Horizonte Minas Gerais BR 3134092591
Paulina Barbosa
Professor Titular
Universidade Federal de Minas Gerais Av. Antônio Carlos, 6627 31270901 Belo Horizonte Minas Gerais BR 3134092591
http://lattes.cnpq.br/0516263904806475
Akemi Aoki
Professor
Universidade Federal de Minas Gerais Av. Antônio Carlos, 6627 31270901 Belo Horizonte Minas Gerais BR 3134092591

Who filled in the metadata:

Diego Pujoni
Post Doc
Universidade Federal de Minas Gerais Av. Antônio Carlos, 6627 31270901 Belo Horizonte Minas Gerais BR +55 31 98866-5113
http://lattes.cnpq.br/4374619193264139
Gabriel Aguila
Estagiário Iniciação Científica
Universidade Federal de Minas Gerais Av. Antônio Carlos, 6627 31270901 Belo Horizonte Minas Gerais BR +55 31 99241-7738
http://lattes.cnpq.br/1757899587528681

Who else was associated with the resource:

User
Universidade Federal de Minas Gerais
Universidade Federal de Minas Gerais Av. Antônio Carlos, 6627 31270901 Belo Horizonte Minas Gerais BR 3134092591

Geographic Coverage

Trecho Médio da Bacia do Rio Doce – MG (Brasil)

Bounding Coordinates South West [-20, -42.9], North East [-19.22, -42.2]

Taxonomic Coverage

Os exemplares estão identificados no menor nível taxonômico possível, nesse caso a nível de gênero e espécie.

Kingdom  Plantae,  Animalia
Phylum  Rotifera,  Nematoda,  Tardigrada,  Protozoa
Class  Copepoda,  Ostracoda
Order  Cladocera,  Ameba Testacea
Family  Cyperaceae,  Nymphaeaceae,  Pontederiaceae,  Salviniaceae,  Lentibulariaceae,  Hydracarina
Genus  Chaoborus

Temporal Coverage

Start Date / End Date 2008-01-01 / 2009-12-31

Project Data

A região litorânea de um lago é a área de transição entre o ecossistema terrestre da bacia de drenagem e o ambiente aquático. Geralmente é a área compreendida entre a linha de margem e o limite inferior das regiões dominadas por plantas enraizadas (Pieczynska, 1990). É considerada zona de ecótono por apresentar diversidade de espécies maior em relação às comunidades de ecossistemas adjacentes (Odum, 1986). Esta região apresenta biótipos bastante variáveis em relação ao microclima (luz e temperatura), natureza do substrato (estrutura do sedimento, interações químicas água-sedimento) e fluxos químicos dentro da vegetação litorânea (Henry, 2003). A maioria dos lagos existentes nos trópicos são ambientes relativamente pequenos e rasos. Tal condição possibilita a formação de regiões litorâneas colonizadas por uma variedade de macrófitas aquáticas. A alta concentração de nutrientes, em razão do input do habitat terrestre e do sedimento, permite o desenvolvimento de extensos bancos de macrófitas aquáticas na região litorânea, apesar de, em algumas ocasiões, a densa vegetação terrestre promover o sombreamento do litoral, e a declividade brusca da margem inibir o desenvolvimento das macrófitas (Moretto, 2001). A presença da vegetação aquática, juntamente com perifíton e fitoplâncton, faz da região litorânea um dos compartimentos mais produtivos do ambiente aquático, podendo influenciar a dinâmica de várias comunidades e até mesmo do ecossistema lacustre como um todo (Esteves, 1998). A vegetação aquática exerce uma influencia marcante sobre os hábitos alimentares das diferentes espécies zooplanctônicas. Enquanto na região limnética a comunidade zooplanctônica é composta por espécies essencialmente filtradoras, na região litorânea os organismos são caracterizados como preferencialmente coletores de alimento (Van de Brink et al., 1994). Além disso, as macrófitas aquáticas interferem de maneira significativa na interação peixe-zooplâncton, por fornecer refúgio para vários organismos zooplanctônicos (Schriver et al., 1995). Portanto, com esse conjunto de características, vários estudos tem demonstrado a importância da região litorânea para a caracterização da comunidade zooplanctônica, tornando-se crucial para sua conservação e as condições ecológicas do ambiente aquático como um todo (Maia-Barbosa et al., 2008).

Title Dinâmica Biológica e Conservação da Biodiversidade na Mata Atlântica no médio Rio Doce -MG
Identifier PELD site 4
Funding PELD/MCT-CNPq (Processo 520031/1998-9)
Study Area Description O projeto em questão foi desenvolvido na área do trecho médio da bacia do rio doce, em Minas Gerais, tendo o Parque Estadual do Rio Doce (PERD) como área-foco, este que está situado na porção sudoeste do Estado, a 248 km de Belo Horizonte, na região do Vale do Aço, inserido nos municípios de Marliéria, Dionísio e Timóteo. Esta Unidade de Conservação corresponde ao maior remanescente contínuo de Floresta Atlântica do estado de Minas Gerais, com uma área de 35.970 hectares.
Design Description Este projeto teve como objetivo avaliar a riqueza, diversidade e abundância de organismos zooplanctônicos nas regiões limnética e litorânea da Lagoa dos Patos, em dois períodos sazonais distintos, e comparar estes mesmos parâmetros em dois bancos de macrófitas, um com elevada diversidade de vegetação aquática (banco misto) e outro com predomínio da macrófita emersa Eleocharis interstincta, (banco junco).

The personnel involved in the project:

Principal Investigator
Paulina Barbosa
Content Provider
Akemi Aoki

Sampling Methods

Foram realizadas duas coletas, uma em agosto de 2008 (período de seca) e outra em janeiro de 2009 (período de chuva). Em cada campanha, amostras foram coletadas tanto na região limnética, quanto na região litorânea. Nesta última, coletou-se em dois bancos de macrófitas, um banco com predomínio de Eleocharis interstincta (banco de junco) e um banco com maior riqueza de vegetação aquática (banco misto). Em cada banco de macrófita foi realizado um transecto linear paralelo à margem da lagoa, de onde foram amostrados seis pontos, distantes dois metros entre si. A profundidade dos bancos variou de 0,90m a 1m no período seco de 1,80m a 2m no período chuvoso. Na região limnética foram amostrados dois pontos, ambos com profundidade de 8,5m na estação seca e 9,5m na estação chuvosa.

Study Extent A Lagoa dos Patos está próxima ao limite sul do Parque Estadual do Rio Doce (19º 48’ 20,6”S 42º 32’ 17,9” W). É uma lagoa dendrítica com área superficial de 1,09 km² e área da bacia de drenagem correspondendo a 4,02 km². A região litorânea é colonizada por extensos bancos de macrófitas que alcançam praticamente toda a margem da lagoa. Nesta região é possível distinguir bancos com predomínio de Eleocharis interstincta (banco junco) e bancos com maior riqueza de vegetação aquática (banco misto).
Quality Control O volume filtrado foi sedimentado para um volume conhecido. Este volume foi homogeneizado e no mínimo três subamostras de 1mL foram retiradas. Cada subamostra foi contada em câmara de Sedgewick-Rafter em microscópio ótico. Enumerou-se no mínimo 200 indivíduos da espécie dominante (excluindo-se náuplios). Caso o coeficiente de variação ente as três subamostras ultrapassasse 20%, novas subamostras eram contadas. (Bottrell et al., 1976). As amostras com baixa densidade de organismos foram contadas em sua totalidade.

Method step description:

  1. Para determinar as espécies de macrófitas presentes nos pontos de coletas foi utilizado um quadrado de PVC de 50x50 cm (0,25m²). Para a caracterização dos grupos zooplanctônicos nos bancos de macrófitas foram filtrados em cada ponto, com o auxilio de um balde, 20 litros de água (10L para análise qualitativa e quantitativa da comunidade, cada), em rede de plâncton 45μm de abertura de malha. Mensurou-se temperatura, oxigênio dissolvido e pH nos pontos de coleta em duas profundidades (sub-superfície e fundo) com o auxílio do multi-analisador Horiba U22 (Horiba).Três amostras de água foram coletadas em cada banco para a determinação das concentrações de nutrientes (silicato, P-total, PO4, Ntotal, NO2, NO3, NH4 e clorofila-a).